Esporte Ágil - Ministro do Esporte vem à Capital para liberar estádios
Política | Da redação | 04/03/2016 13h48

Ministro do Esporte vem à Capital para liberar estádios

Compartilhe:

O ministro do Esporte, George Hilton, vai estar no Estado até o final deste mês para ver pessoalmente as condições do Morenão, Estádio Pedro Pedrossian, e dos estádios Noroeste, em Aquidauana, e Virotão, em Naviraí, interditados pelo Ministério Público, para liberá-los o mais rápido possível. O compromisso foi firmado com o deputado federal Elizeu Dionizio (PSDB/MS), em Brasília, na tarde de ontem.

Os trabalhos já começam na próxima semana, quando técnicos do Ministério do Esporte retornam a Campo Grande para finalizar avaliação no Estádio Morenão. No dia 5 de fevereiro pontuaram as pendências, que foram apresentadas ao ministro. A previsão era que a arena fosse usada no clássico Comerário, no final do mês passado, mas “a burocracia impediu que este prazo fosse cumprido”, destacou Dionizio.

Estes mesmos técnicos seguem depois para Aquidauana e Naviraí, também para verificar in loco o que é necessário ser feito para que os estádios voltem a ser usados no campeonato estadual.

“A liberação só vai ser possível depois dos ajustes apresentados na primeira avaliação. Esse foi o motivo para que o Morenão não fosse usado na retomada do campeonato estadual, no final do mês passado, como estava previsto pelo próprio ministro. Com a ida de George Hilton aos estádios, torna-se mais efetiva a retomada das atividades nestes locais”, enfatizou o deputado federal após a reunião com o ministro.
O parlamentar explicou que o ministro não vai antes ao Estado por estar envolvido até o dia 18 com eventos das Olimpíadas no Rio de Janeiro. “Se tudo der certo, o ministro vai a Mato Grosso do Sul já no dia 19 ou dia 20 deste mês. Essa é a previsão dele. No máximo estará no Estado até o final do mês. Ele afirmou que é sua prioridade reativar os estádios”, afirmou Dionizio.

Vistoria

No dia 05 de fevereiro, dois engenheiros do Ministério do Esporte estiveram no Estádio Morenão, em Campo Grande, para verificar ‘in loco’ a situação do prédio e ver o que poderia ser feito em parceria com o Governo do Estado para que o local volte a ser usado.

O estádio está interditado desde outubro de 2014 por problemas na estrutura, com infra-estrutura deficitária, falta de equipamentos modernos de segurança e sistema inadequado de evacuação em casos de emergência, entre outros fatores.

A pasta tem interesse em investir no estádio para torná-lo um Centro de Treinamento de diversas atividades esportivas, por isso foi feita a avaliação técnica sobre o que precisa ser feito e foram dadas orientações na elaboração dos projetos, de forma a atender as exigências legais que permitam execução das obras.

No dia 4 do mês passado estiveram no Morenão os engenheiros do ministério, o deputado Elizeu Dionizio; o procurador adjunto do MPE, Paulo Passos; o comandante geral do Corpo de Bombeiros, Coronel Esli Ricardo de Lima; e o diretor-presidente da Fundesporte, Marcelo Miranda. A vistoria começa às 8h30min.

A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), que administra o estádio, não tem recursos para as reformas necessárias, por isso não foram realizadas até o momento. Engenheiros que fizeram a vistoria em 2014 encontraram rachaduras no concreto, oxidação nas ferragens, partes da marquise comprometidas e infiltrações nas arquibancadas. Até o ano passado, o custo da reforma exigida pelo Ministério Público Estadual (MPE) era estimado em R$ 2,1 milhões.

Também os estádios Noroeste, em Aquidauana, e Virotão, em Naviraí, ainda estão impedidos pelo MPE (Ministério Público Estadual) de receber jogos até se adequarem a legislação em vigor, que exige detalhamento maior dos itens engenharia, prevenção e combate a incêndio, sanitário e de higiene e segurança.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS