Paradesporto | Da redação/com Assessoria | 30/05/2014 15h43

Paratletas da Capital participam de Meeting Atletic em Paris

Compartilhe:
Treinando no escuro e sem uma pista adequada, Gabriela vai para França tentar fazer o seu melhor Treinando no escuro e sem uma pista adequada, Gabriela vai para França tentar fazer o seu melhor (Foto: Keila Flores)

Campo Grande (MS) - No dia 30/05, dois jovens paratletas de Campo Grande irão representar o Brasil no Meeting Atletic 2014, que será realizado em Paris, na França. Trata-se dos alunos Gabriela Mendonça Ferreira, 16 anos e Davi Wilker de Souza, 17 anos, ambos da Escola Estadual Manoel Bonifácio Nunes da Cunha.

Colecionadores de troféus e medalhas, estes jovens humildes e valentes são exemplos de superação. Com 70% da visão comprometida, devido a uma toxoplasmose, eles tiveram que driblar os obstáculos e o preconceito e hoje são motivos de orgulho para toda a família e amigos.

Atualmente, a principal dificuldade que eles enfrentam é a ausência de um espaço adequado para os treinos. De acordo com o descobridor e treinador destes dois jovens talentos, professor Daniel Sena, para que estes atletas continuem a brilhar no esporte, é necessária uma melhoria na estrutura física da pista onde eles treinam, além da aquisição de materiais adequados. “Trabalhamos com 90% de improviso. Precisamos melhorar a estrutura física da pista que eles treinam, para poder dar mais segurança a eles e evitar lesões e torções”, explicou Sena.

A pista de treinamento atual, localizada dentro da Escola Estadual Manoel Bonifácio Nunes da Cunha, é feita de pedrisco com buracos e desnivelamento e a iluminação é insuficiente. “Mesmo que o nosso espaço seja limitado, temos descobertos muitos talentos”, falou o professor Daniel Sena.

Recordista nos jogos escolares da Inglaterra em 2012, nos jogos pan-americanos na Argentina em 2013 e no Sul Americano no Chile em 2014, Gabriela diz que depois que começou a praticar atletismo passou a “enxergar” o mundo de outra forma. “Antes eu era muito quieta, não conversava com ninguém, não tinha amizades devido a minha deficiência, mas agora sou uma pessoa mais aberta, independente e fiz várias amizades”, conta.

Assim como Gabriela, o maratonista Davi Wilker de Souza tem conquistado títulos importantes no paratletismo brasileiro. Nos jogos escolares da Inglaterra em 2012 ele conquistou a medalha de prata nos 100 e 200m. Já nos jogos panamericanos, na Argentina, em 2013, Davi ficou em 1º lugar nos 400m e no Sul Americano ocorrido este ano no Chile, o paratleta ganhou três medalhas de ouro, nos 100, 200 e 400m.

Tanto para Davi quanto para Gabriela, além de ter a autoestima e as notas escolares elevadas, no atletismo aprenderam a importância da humildade, responsabilidade, assiduidade, respeito, companheirismo, perseverança e disciplina. “Nosso treinador vive nos dizendo que o atletismo não é para sempre, mas que o estudo é para o resto da vida, então estamos aproveitando a oportunidade que estamos tendo, sem nos desligar dos estudos”, falou Davi.

Conforme o treinador Daniel Sena, estes alunos fazem parte de um projeto educacional promovido pelo Comitê de Cultura e Esporte (Cocesp), da Secretaria Estadual de Educação. São atendidas por este projeto crianças e adolescentes com idade entre 8 e 17 anos, matriculados em escolas estaduais, municipais e particulares. O requisito é ser assíduo nas aulas e possuir boas notas.

A Escola Manoel Bonifácio Nunes da Cunha fica no bairro Jardim Tarumã em Campo Grande. Mais informações com o professor Daniel Sena, pelo telefone: (67) 9242-8558. 

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS