Esporte Ágil - Com medalha de sul-mato-grossense, Brasil fica em quarto no mundial de judô
Judô | Da redação | 05/09/2017 14h22

Com medalha de sul-mato-grossense, Brasil fica em quarto no mundial de judô

Compartilhe:

Os pesos pesados brasileiros garantiram mais duas medalhas para o País no Campeonato Mundial de Judô, disputado em Budapeste. Neste sábado (2), David Moura conquistou a prata e Rafael Silva, o Baby, nascido em Campo Grande, foi bronze no +100 kg.

Foi a primeira vez na história que o judô brasileiro colocou dois atletas da mesma categoria no pódio do Mundial. Com ouro de Mayra e o bronze de Érika Miranda, o Brasil encerrou as disputas individuais em quarto lugar geral, atrás apenas do Japão (1º), da França (2º) e da Mondólia (3º).

No pesado feminino, o Brasil teve Maria Suelen Altheman, duas vezes vice-campeã mundial (2013 e 2014), que não conseguiu repetir o desempenho na competição. A brasileira estreou com vitória por ippon sobre Sonia Asselah, da Argélia, mas não conseguiu passar pela chinesa Song Yu, atual campeã mundial, nas oitavas.

O meio-pesado Luciano Corrêa (100 kg) também lutou neste sábado, dez anos após conquistar seu título mundial no Rio. Depois de empatar sem pontuações ou punições no tempo normal da luta contra o britânico Benjamin Fletcher, Luciano acabou sofrendo um waza-ari no golden score e despediu-se mais cedo do Mundial.

Equipes Mistas

Nesse domingo (3), 21 países voltam ao tatame da Laszlo Papp Arena, em Budapeste, para a inédita disputa do Mundial Por Equipes Mistas, que estará pela primeira vez no programa olímpico em Tóquio 2020.

Onze atletas estão inscritos na competição: Érika Miranda (57 kg), Rafaela Silva (57 kg), Maria Portela (70 kg), Maria Suelen Altheman (+70 kg), Beatriz Souza (+70 kg), Marcelo Contini (73 kg), Eduardo Katsuhiro (73 kg), Victor Penalber (90 kg), Eduardo Bettoni (90 kg), Rafael Silva (+90 kg) e David Moura (+90 kg).

Entram no tatame apenas seis atletas por países em cada duelo. Vence a equipe tiver o maior número de vitórias nos seis combates. Vitórias por ippon são o primeiro critério de desempate.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS