Jogos Abertos | Pedro Nogueira/Da Redação | 05/06/2012 13h17

"Modalidades coletivas precisam disputar ligas para crescer"

Compartilhe:
Judô sul-mato-grossense está no caminho certo e é o maior destaque esportivo do Estado. Judô sul-mato-grossense está no caminho certo e é o maior destaque esportivo do Estado. (Foto: Divulgação)

Campo Grande (MS) - A delegação sul-mato-grossense ficou em sexto lugar nos Jogos Abertos Brasileiros, à frente de Goiás, Mato Grosso e Tocantins. Fez 47 pontos, assim como Minas Gerais, quinto colocado. Porém, os mineiros ficaram em quinto pelo critério de desempate. MS ficou atrás de Espírito Santo, 49 pontos, Rio de Janeiro, 76, Paraná, 85 e do campeão São Paulo, 120.

Paulo César Mansano, técnico da Fundesporte, comentou os resultados do nosso estado. "No geral foi um resultado razoável, ficamos no meio".

Modalidades individuais

No atletismo feminino, com cinco atletas, MS ficou em sexto lugar. No masculino, com três atletas, foi oitavo. "Nosso atletismo está fraco. Não temos mais aquela safra de Três Lagoas. Caiu muito. Não temos atletas fortes no estado. Precisa melhorar desde a base", afirmou Mansano.

No judô masculino quinto lugar e no feminino medalha de prata. Para Mançano, dava até para ficar com o ouro."Nosso judô é muito forte no país e é respeitado. Poderiamos ter ficado com o ouro se a Camila Gebara tivesse participado (Camila não foi porque tinha acabado de chegar do Circuito Europeu). Também não foi todo mundo do masculino, senão iriámos melhor", declarou.

Na natação Mato Grosso do Sul não participou. Os atletas que seriam enviados pela Federação de Desportos Aquáticos de Mato Grosso do Sul (Fedams) não quiseram ir pois tinham competição nacional para disputar. "A Fedams quis trocar os atletas que tinham sido convocados e nós não quisemos. Não íamos levar atleta para passear, ou eram os convocados ou nada", salientou.

Modalidades coletivas

No handebol MS foi sétimo no feminino e quinto no masculino; futsal quinto colocado em ambos os sexos; vôlei quarto colocado no masculino e no feminino; e no basquete sétimo no masculino e terceiro no feminino.

Para Mansano, a medalha de bronze conquistada pelo basquete feminino não foi uma surpresa."Temos uma boa equipe, já era esperado um bom resultado. E era até para chegarmos á final, perdemos para Paraná na semifinal após duas prorrogações. Perdemos por bobeira", conta. O técnico ainda disse que com duas pivôs altas o time feminino de basquete pode ir longe.

Nivelar

Segundo Mansano, um dos principais fatores dos fracos resultados nas modalidades coletivas é que os atletas estão desacostumados a competir à nível nacional.

"Fica claro que as modalidades coletivas precisam de maior incentivo. Os atletas precisam de apoio. As federações tem que realizar jogos adultos, participar de ligas, de torneios nacionais para se acostumar. E as empresas e empresários precisam investir nesses esportes", ressaltou o técnico da Fundesporte.

"Para estarmos entre os melhores temos que ter alguma equipe do estado que dispute liga nacional, é diferente, outro nível, só assim vamos evoluir", concluiu.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS