Esporte Ágil - Laís Souza relata história de superação e comove participantes
Eventos | Da redação | 25/10/2017 09h57

Laís Souza relata história de superação e comove participantes

Compartilhe:

Teve início noite de terça-feira (24) o maior evento científico de Mato Grosso do Sul, o IV Saberes em Ação, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), que traz como tema “Universidade: Inclusão e Superação”, com palestra da ex-ginasta Laís Souza.

Laís foi integrante da seleção brasileira de ginástica artística, até que, em 2014, sofreu um grave acidente que a deixou tetraplégica. A atleta contou toda sua trajetória de vida, desde quando começou, até hoje, e garante não ter parado. “Às vezes eu acho que me mexo até mais do que quem se mexe, de fato. Vou pro treino, faculdade, palestras. E vejo que passar por tudo isso, me fez aprender mais”, frisou.

Além disso, Laís afirmou que a aceitação foi o principal ponto para que ela conseguisse melhorar a saúde, tanto física como mental. “Eu poderia não ter aceitado, mas meu espírito de atleta falou mais alto e fui encarando tudo e passando por todas as barreiras que tive e tenho até hoje”, afirmou.

Na abertura do evento, a Federação de Ginástica do Mato Grosso do Sul fez uma homenagem à palestrante. Ana Clara Gonçalves, de 15 anos, faz parte da equipe e relatou a emoção que estava sentindo. “É uma experiência que ninguém imagina ter, porque a Laís é um dos ícones da ginástica. E um dos caminhos para podermos participar de vários torneios, é estar aqui, fazendo a abertura para ela. É muito gratificante, e eu amo o meio da ginástica artística”, contou comovida.

O Reitor da UCDB, Pe. Ricardo Carlos, destacou a escolha de Laís para essa quarta edição do Saberes em Ação. “A vida da Laís já é uma grande mensagem para todos; ela que inspirou tantas vidas quando era ginasta, continua ainda mais agora. O lema da nossa Universidade é ‘Inspira o Futuro’ e, nessa noite, é isto que a Laís está fazendo. Que o exemplo dela seja uma grande ressonância, para vermos o que fazemos da vida, e que todos tenham uma vida melhor”, completou o Reitor.

Katiane Andrade, tem 24 anos, e há dois ficou paraplégica em um acidente de moto. Para ela, Laís é um exemplo de força e superação. “Poder ver ela, é ver que a gente pode alcançar tanto quanto ela e também ir além. Não tem limites. Não tem barreiras”, assegura.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS