"/>
Ciclismo | Da redação/com GB Esporte | 02/09/2013 11h18

"Canibal" do ciclismo de Sete Quedas abocanha títulos e vira surpresa do Tour do Rio

Compartilhe:

Sete Quedas (MS) - Com a voracidade de um canibal, o jovem João Pereira Gaspar vem abocanhando conquistas importantes, como o título da Volta de San Juan, na Argentina, e o vice-campeonato no Giro do Interior de São Paulo, ganhando visibilidade no cenário nacional e despertando o interesse de estrangeiros. Aos 21 anos, o ciclista da pequena cidade de Sete Quedas, de cerca de 11 mil habitantes, tornou-se uma das principais promessas do ciclismo brasileiro nas futuras edições dos Jogos Olímpicos. Destaque da equipe de Sorocaba no Tour do Rio, o jovem é o dono de duas camisas de liderança, a de bolinhas vermelhas, de rei da montanha, e a branca, que indica o melhor sub-23. Campeão brasileiro da categoria nesta temporada, o atleta ainda demonstra timidez ao lidar com o crescente assédio da imprensa e de outros ciclistas.

João, mais conhecido como Canibal por conta de seu apetite carnívoro quase insaciável, era um devorador de pastéis de carne com queijo e outros petiscos na época que trabalhava em uma loja de bicicletas e ainda não havia se tornado um ciclista profissional. Gostava de se alimentar em quantidades absurdas e o seu recorde gastronômico foram 13 espetinhos de frango. Hoje, a vida de atleta não permite tais exageros. O cardápio rico em proteínas, carboidratos e gorduras deu lugar a uma dieta saudável e balanceada.

“Eu comia de forma extremamente exagerada, passava do ponto a ponto de passar mal. Gostava de ir em pastelarias e pizzarias na minha cidade. Um dia, eu e os meus amigos pedimos 20 espetinhos e eu comi 13 sozinho. Hoje, tenho uma alimentação regrada, com poucos carboidratos e sem gordura”, contou o jovem, que realizou uma preparação intensa nas montanhas de Campos do Jordão, sob o comando do companheiro e técnico de equipe, o argentino Edgardo Simon, com 12 participações em Mundiais e duas em Olimpíadas.

Em busca do sonho de viver apenas do ciclismo, o prodígio deixou a família para tentar a sorte na capital do Estado aos 15 anos. Até chegar à recém-formada equipe de Sorocaba, montada por Simon depois que a principal do município fechou suas portas por falta de patrocínio, o atleta teve passagens por times de Sete Quedas, Campo Grande, Ponta Porã, Presidente Prudente e Assis. Sobre o seu estilo, ele se considera um atleta completo, ou seja, tem força na montanha e a capacidade de decidir uma prova no sprint final.

O bom desempenho no Tour do Rio fez João se tornar o centro das atenções entre os mais jovens, chamando a atenção de equipes europeias, como a de Portugal. Ele revelou não ter recebido nenhuma proposta oficial, mas revela um desejo.

“Ouvi alguns boatos de que uma equipe europeia queria me contratar, mas ninguém veio conversar comigo. Gostaria de correr no ciclismo da Europa, seria um sonho. Estou muito feliz de trabalhar com atleta e um técnico tão experiente como o Simon, um exemplo de profissional e pessoa, com quem eu aprendo a cada dia que passa. Mas se houver a oportunidade de defender uma equipe europeia, não quero desperdiçar a chance. E o meu maior sonho é disputar uma Olimpíada”, contou o jovem, maior surpresa do Tour do Rio.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS