"/>
Boxe | Da Redação | 18/09/2018 14h40

Atleta sul-mato-grossense mantém título de Campeão Brasileiro de Boxe

Compartilhe:

Em defesa do cinturão da categoria peso-pena do Conselho Nacional de Boxe, o atleta da casa, Luís Cláudio “Punhos de Aço”, nocauteou o adversário baiano Cid Edson, durante o segundo round da luta. Cid Edson teve de ser atendido pelo departamento médico que constatou a suspeita de fratura no nariz. O evento também contou com outras cinco lutas, sendo quatro de boxe olímpico e uma de boxe profissional.

Esta foi a quinta luta profissional de boxe de Luís Cláudio, e também a sua primeira defesa de cinturão, conquistado em dezembro do ano passado. O lutador revelou estar muito feliz com a vitória em casa e com o incentivo recebido pela torcida. Quando perguntado sobre os planos para o futuro, Punhos de Aço demonstrou não ter muito tempo para descanso. “Daqui a duas semanas, no dia 29, vou a São Paulo, em luta preliminar da campeã mundial Rose Volante”, completou.

Luís Cláudio ainda comentou sobre a estratégia escolhida para a luta, que contou com o irmão de Acelino Popó, o baiano Luis Cláudio, como seu técnico. “Ele me orientou bem. Pediu para que eu trabalhasse a média e curta distância, com golpes fortes embaixo e em cima”, finalizou.

Galeria de imagem.

EVENTO

A disputa do cinturão do CNB (Conselho Nacional de Boxe) foi realizada no último sábado (15), no Ginásio do Rádio Clube Campo. Marcado para as 19h, o evento teve o seu primeiro toque de luvas quase duas horas depois, dando início às disputas de boxe olímpico. Inicialmente eram previstas oito lutas da modalidade, porém quatro delas foram canceladas por conta de lesões ou problemas com peso.

Outra ausência sentida foi a do ex-campeão mundial Acelino Popó de Freitas, o Popó. Em vídeo apresentado em telão, o candidato ao Senado pela Bahia informou que faltaria ao evento por recomendação de sua assessoria. “Pelo risco de aglomeração de pessoas em eventos públicos, isso poderia gerar problemas com a Justiça Eleitoral”, completou Popó, que ainda prometeu sua presença na cidade após as eleições deste ano.

NOCAUTE RELÂMPAGO

Vitor Freitas, sobrinho de Popó, realizou a outra luta profissional da noite, contra o sul-mato-grossense Ageu Sales, que substituiu de última hora o boliviano Pablo Canido. Melhor para Vitor Freitas, que venceu aos 57 segundos do 1º round, por nocaute após uma sequência de ganchos nas costelas do adversário.

Após a luta, Vitor garante que o sentimento de ser “vigiado” de perto por Popó é positivo. “Eu me inspirei nele, e me inspiro até hoje. A cada dia que passa, eu procuro olhar os treinamentos dele, ver a forma que ele luta, para tentar fazer igual”, comentou Vitor, que disputará no próximo mês a sua nona luta nos Estados Unidos, em busca do título mundial.

 

BOXE OLÍMPICO

O evento contou com a realização de quatro lutas disputadas em três rounds de três minutos, por um minuto de descanso. Subiram ao ringue:

  • Ariel Augusto 3 x 0 Gustavo Henrique
  • Kenian Hernandes 1 x 2 Emilly Laura
  • Igor Arguello 2 x 1 Gabriel Rodrigues
  • *Sergio Freitas x Arnaldo Neto

Outras quatro lutas estavam programas, porém os atletas Paulo Martins e Luís Carlos Flipper não bateram o peso ideal, causando o cancelamento de duas lutas. As outras duas lutas foram canceladas por motivo de lesão.

*A luta entre Sergio Freitas e Arnaldo Neto não teve contagem de pontos, sendo considerada então uma luta de exibição. O motivo foi a idade de Sergio Freitas, 41 anos, considerado vencedor após abandono de seu oponente.

Sergio Freitas é empresário, dono do Studio Sergio Freitas, e estava há 10 anos sem subir ao ringue para competir. Voltou a lutar a convite de seu treinador, Paulo Brito, e diz que contou com ajuda profissional na preparação para a luta. "Eu tenho um médico, preparador físico, treinador de boxe, treinador de musculação e contei com a ajuda de amigos e familiares", completa. Sergio ainda contou sobre um evento a ser realizado por ele e parceiros, em dezembro, para fomentar o boxe na Capital. 

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS