Esporte Ágil - Para esportistas, novas regras do Bolsa-atleta irão ajudar a manter campeões e descobrir talentos em MS
Bolsa Atleta | Da redação | 22/05/2017 08h56

Para esportistas, novas regras do Bolsa-atleta irão ajudar a manter campeões e descobrir talentos em MS

Compartilhe:

A aprovação das novas regras do bolsa-atleta, de iniciativa do Governo do Estado, deu fôlego à comunidade esportiva de Mato Grosso do Sul. Entre os atletas, é grande a expectativa pela implementação dos benefícios e a previsão é de que os incentivos ajudarão a manter os campeões treinando no Estado, além de estimular os técnicos a descobrirem e prepararem novos talentos.

Com a regulamentação do projeto de lei 50/2017, aprovado esta semana pela Assembleia Legislativa, serão retiradas restrições da lei atual. A nova redação prevê a criação da bolsa-técnico, a bolsa pódio complementar para quem já recebe incentivos federais e autoriza a participação de atletas do funcionalismo público estadual no benefício.

Representantes de várias modalidades esportivas sul-mato-grossenses chegaram a acompanhar a votação, que ocorreu por unanimidade. A criação de incentivos para que técnicos descubram e treinem novos talentos é uma das promessas de uma nova fase no esporte. “Agora esperamos conseguir alcançar nosso objetivo de levar um atleta até as Olimpíadas”, afirmou o técnico de judô Alessandro Nascimento.

De acordo com ele, a criação da bolsa para os treinadores é uma luta antiga da categoria. “Esse auxílio é muito importante para incentivar os técnicos, diminuir despesas e reconhecer trabalhos”, disse o sensei que acumula conquistas nacionais e internacionais com os atletas do Estado. O professor ainda falou sobre a bolsa-atleta pódio complementar. “Isso é muito bom porque fazemos um trabalho de ponta e, muitas vezes perdíamos atletas que iam para outros Estados por receberem mais incentivos”, lembrou.

Na redação atual da lei, o atleta de ponta que recebe bolsa do governo federal ou bolsa municipal não pode ser contemplado com a bolsa estadual. Caso de Ana Clara Rios. “Eu não posso receber a ajuda do Estado e isso atrapalha porque temos muitas despesas no judô. São muitas viagens e competições. Recebo a bolsa federal e meu pai arca com o restante das despesas. Com a pódio complementar vou poder me dedicar ainda mais e diminuir as despesas em casa”, comemorou.

O bombeiro Luiz Nelson concorda com a judoca. Praticante do tiro esportivo paralímpico, o atleta é destaque em competições nacionais e contemplado com a bolsa federal. A possibilidade de receber a nova bolsa-atleta o deixa com sede de mais títulos. “A bolsa federal é de pouco mais de R$ 900,00. A pódio deve ser de R$ 800,00. Vai fazer muita diferença porque o tiro esportivo é um esporte caro que demanda a compra de equipamento, munição. Com a bolsa do Estado vamos poder treinar com mais condições e ter melhores resultados”, contou.

A nadadora Gabriela Cardoso, bolsista da última edição, esteve na Assembleia Legislativa com os colegas de escola e de clube para acompanhar a aprovação da lei. Ela espera voltar a receber a bolsa-atleta do Governo do Estado, auxílio considerado fundamental. “Na natação a gente tem muitos campeonatos e precisa comprar equipamento. Com o dinheiro da bolsa consegui participar de competições e comprar meu traje de competição. É muito importante para o atleta essa bolsa. E é muito legal saber que os técnicos também vão começar a receber”, analisou.

Categorias

Com as alterações, a bolsa-atleta passa a ser dividida em três categorias: estudantil, nacional e pódio complementar. A estudantil, com valor previsto de R$ 350,00, é direcionada a alunos-atletas, com idade entre 12 e 17 anos, que se destacam em competições estudantis nacionais e internacionais. O principal objetivo é dar uma ajuda de custo mensal para manter o talento escolar treinando e participando das competições.

A bolsa-atleta nacional, estimada em R$ 800,00, é destinada aos talentos esportivos que brilham em campeonatos nacionais e internacionais. A intenção é oferecer um auxílio financeiro mensal para que o atleta, com idade mínima de 14 anos, não abandone o esporte e possa continuar se dedicando a representar Mato Grosso do Sul.

A bolsa-atleta pódio complementar tem como público-alvo os atletas de ponta que recebem bolsa-atleta federal. A ideia é dar mais um suporte financeiro mensal, a princípio de R$ 800,00, para os que atuam em alto rendimento.

A bolsa-técnico, prevista no valor de R$ 500,00, é destinada aos profissionais da Educação Física formadores e treinadores dos atletas. No nível I são contemplados os técnicos em nível escolar, responsáveis pelos alunos-atletas habilitados a receber a bolsa-atleta estudantil. A nível II beneficia os técnicos dos atletas de ponta, aptos a receber as bolsas pelo desempenho em competições nacionais e internacionais.

Em todos os casos, independente do preenchimento dos requisitos específicos de cada bolsa – atleta ou técnico – o candidato ou contemplado deve estar em plena atividade esportiva, residir e competir por Mato Grosso do Sul. O auxílio financeiro tem validade de um ano. Depois desse período, o beneficiado concorre novamente, para tentar manter a bolsa.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS