Bate-Bola | Hélio Lima | 21/10/2015 18h32

Angelo Mendonça

Compartilhe:
(Foto:Reprodução/Internet) (Foto:Reprodução/Internet)

O site Esporte Ágil conversou com Ângelo Mendonça, presidente da Federação de Xadrez de Mato Grosso do Sul (Fesmax) e Árbrito nacional.

Ao Esporte Ágil, Mendonça falou sobre o primeiro ano de mandato e de qual era a situação do Xadrez de MS quando assumiu a Fesmax.

Entre outros assuntos, Mendonça contou as ações da Federação, os enxadristas de destaque no cenário estadual, e sobre a importância dos clubes, além da perspectiva para o próximo ano.

Esporte Ágil - Qual era a situação da Fesmax quando você assumiu? 

Angelo Mendonça - A situação da FESMAX era de total inatividade. Pelo menos 10 anos sem fazer nada pelo nosso xadrez. Em nenhuma área. Seja escolar, recreativa ou outra qualquer. O xadrez só não ficou inerte, porque um grupo de entusiastas se mobilizaram e fundaram em 2009, o Clube Sul-Mato-Grossense de Xadrez – CSX, que é umas das únicas entidades representativas do nosso esporte perante a Confederação Brasileira de Xadrez – CBX e Federação Internacional de Xadrez – FIDE. Imagine, um estado, ter como “autoridade” máxima do esporte, um clube!

Pois bem, o CSX não deixou a peteca cair e fez desde sua fundação, muito mais que a Federação em quase 30 anos de existência. O CSX hoje tem uma estrutura digna de nota, pois tem quadro de arbitragem, tendo eu como único árbitro nacional (AN) da história do estado, e que já estou formando mais dois nesse mesmo nível e mais outros de nível regional (AR), materiais de xadrez, celebra convênios públicos, tem reconhecimento perante a sociedade civil e privada de todo nosso estado.

Já a FESMAX acumula somente dívidas, uma delas com o poder público, na casa dos 150 mil reais. Fora outros débitos com a receita federal e município.

Infelizmente a antiga diretoria, de uma pessoa só, que com mão de ferro, disse que “administrou’ o esporte, por quase 25 anos, deixa de herança para nosso mandato, dívidas, desprestígio frente a vários estados, jogadores e opinião pública.

EA - Quais competições a Fesmax já realizou nesta temporada e quem são os seus parceiros? Quantos filiados a Federação tem?

Mendonça - Fizemos esse ano, mais que a FESMAX fez em 10 anos. Somos o 5º estado em número de torneios no Brasil, segundo ranking da CBX, divulgado este mês em seu site. Além da valorização dos jogadores, com torneios válidos para ranqueamento, formamos o primeiro Mestre Nacional pela CBX, Título esse, que somente é concedido a quem alcança a marca de 2200 pontos no ranking FIDE.

Não tem como um jogador acumular pontos, se ele não jogar torneios válidos para o cômpulo.

Os parceiros são em sua maioria empresários que confiam em nosso trabalho.

A FESMAX em parceria com os clubes filiados, Rádio Clube, Judô Clube Rocha e Capablanca que são os sócios-fundadores, desses o Capablanca atua independente. Contamos ainda com a Liga de Xadrez do MS, Associação Sul-Mato-Grossense de Xadrez de Três Lagoas, 64 Projects e Associação Bataguassuense de Xadrez, fazem as atividades do xadrez em todo estado. Os demais clubes, devido a ligação com o antigo presidente, estão movendo uma ação por não concordarem a assembleia do dia 12 de dezembro de 2014.

Porém isso ainda está em trânsito, como consta em http://www.tjms.jus.br/cpopg5/showMobile.do;jsessionid=B8F9B67A6A299F0605F420C388168574.cpopg2?processo.codigo=01001QJO30000&processo.foro=1, com audiência marcada para o dia 22 de outubro de 2015. (PS: No dia 20 de outubro, a a 16a. Vara Cível da Capital em audiência preliminar da ação de suspensão de Assembléia, foi prolatada sentença pelo Juiz de Direito na própria audiência. Pela totalidade dos presentes foi extinta a ação e confirmada a nova diretoria eleita com AN Angelo Mendonça como presidente da FESMAX.)

Tão logo a FESMAX esteja organizando seus documentos, estará divulgando o novo estatuto e fazendo asfiliações dos demais clubes que queiram compor.

EA - Qual a importância dos clubes na pratica e divulgação do xadrez?

Mendonça - Os clubes têm o papel fundamental de propagar o esporte, formar novos jogadores, absorver as crianças das escolas para uma formação mais técnica.

O CSX tem feito isso, na medida do possível, funcionamos a dois anos na sede da ACP, todos os sábados das 14h às 18h, onde os participantes têm acesso a materiais, livros, programas, jogadores de alto nível e mais.

Esse é o papel dos clubes e a federação deve apoiar com eventos, confraternizações e outros eventos que divulguem o esporte.

EA - Qual a perspectiva para 2016 no Xadrez de MS?

Mendonça - Em 2016, vamos fazer mais que em 2015. Pretendemos aumentar nossos parceiros, aumentar nossa ação no estado, divulgar, massificar e difundir ainda mais o nosso trabalho.

Tentar de alguma forma, entrar nas escolas para divulgar esse trabalho e dizer para os praticantes que em Campo Grande tem lugar para a prática saudável do xadrez.

Além dos tradicionais torneios de categorias, formação de professores, de mais gente para ajudar no processo de emancipação do esporte.


EA - Quais são os enxadristas de destaque de MS?

Mendonça - Hoje o maior destaque está por conta de Fernando Freire, que conseguiu o Título de Mestre Nacional. Imagine como se fosse em arte marcial e ele tivesse alcançado por exemplo a faixa preta 1º Dan. Ele só está começando. É o primeiro grande degrau rumo ao Título máximo de Grande Mestre, que são com 2500 pontos de elo FIDE. Ele recém conseguiu 2200. Então tem muito chão pela frente, um passo de cada vez.

Nós temos as crianças que frequentam o nosso clube aos sábados, que com certeza já vão figurar entre os melhores alunos ano que vem. Com grande chance de disputarem o brasileiro de categorias. Eles estão animados, temos professores incentivando e dando todo suporte para que eles alcancem esse objetivo.

EA - Como professor, diga a importância do ensino do xadrez no desenvolvimento dos jovens nas escolas? 

Mendonça  - Olha só, isso é um assunto um tanto delicado. Isso seria papo para uma outra grande entrevista. Pois já está mais que provado, que tanto o xadrez, quanto a música, são os principais pilares do desenvolvimento das inteligências em crianças. Pois nós sabemos dos valores de vários esportes para a formação de um jovem-cidadão. Sabemos o tanto que é valoroso ter uma criança no esporte e não na rua. Mas o duro é saber que na cabeça de nossos governantes não é bem assim. Investe-se muito pouco no esporte. O esporte deveria fazer parte do orçamento da educação e não somente ter um orçamento próprio, que muitas vezes é defasado e piorou muito com a crise.

Já se fizesse parte de um orçamento mais robusto, que realmente fosse investido dinheiro na base desses jovens, com certeza teríamos grandes destaques em todas as modalidades.

Infelizmente ainda estamos longe de ver isso acontecer.

EA - Faça um balanço sobre sua gestão até o momento e quais os desafios para o futuro.

Mendonça - Fizemos quase tudo que estava ao nosso alcance, modernizamos o nosso esporte, trouxemos eventos com a chancela da CBX/FIDE em todos os torneios desse ano, ganhamos vagas para os alunos das idades de 14 a 16 anos no campeonato brasileiro, com quase tudo pago, formamos um Mestre Nacional e estamos a um passo de fazer a melhor de campeonato estadual da história do xadrez do MS, com os 8 melhores jogadores do estado, todos contra todos, em dois finais de semana, 27 e 28 de novembro e 4,5 e 6 de dezembro. Onde tanto o masculino, como o feminino, vão jogar torneios, onde 100% dos jogadores e jogadoras tem rating pela FIDE. Isso é algo muito além do que qualquer federação pode sonhar. É como se fizemos um torneio Wimbledon de Tênis, onde todos têm o reconhecimento da Federação Internacional, dizendo, todos fazem parte do ranking internacional!

Sem mais, esperamos de verdade que o nosso esporte tenha o seu valor reconhecido. A mídia deve muito e pode fazer muito mais do que faz hoje em dia. A maioria dos canais ou mídias impressas/digitais, dão apenas atenção aos esportes de grande massa, que vendem bem. Esquecem dos esportes do intelecto e da mente. Isso é triste, até porque, muitos repórteres, sequer sabem o que é xadrez. Acham um monte de coisa e não sabem de nada. Penso, como professor de educação física, se eu for comentar, seja o esporte que for, no mínimo deve pesquisar o que este esporte tem de bom e o que ele proporciona aos seus praticantes.

E a FESMAX vai lutar com todas as forças para que essa geração deixe sua marca no estado, uma verdadeira cultura do xadrez e dos esporte da mente.FESMAX é Xadrez Forte, é Xadrez com respeito!

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS