Basquete | Da redação | 27/06/2018 11h11

Bronze na principal Liga do Brasil, atleta de MS comemora ‘experiência indescritível’

Compartilhe:
Dos 21 jogos disputados pela Uninassau na Liga, Carol esteve em quadra em 16. Dos 21 jogos disputados pela Uninassau na Liga, Carol esteve em quadra em 16. (Foto: Divulgação/Unissau)

Após seis meses longe de casa e da família, a ala/pivô Carolina Junqueira, de 30 anos, comemora a medalha de bronze e, principalmente, a realização do sonho de disputar a principal Liga do basquete feminino no Brasil. Defendendo a Uninassau/Pernambuco, a atleta ficou em terceiro lugar na LBF (Liga de Basquetebol Feminina) 2018, encerrada no início do mês, e agora está de volta à Campo Grande, onde trabalha como fisioterapeuta.

Dos 21 jogos disputados pela Uninassau na Liga, Carol esteve em quadra em 16. Marcou 27 pontos, conseguiu 50 rebotes e atuou por 192 minutos. “Foi uma experiência indescritível. A gente demora para adaptar a uma vida completamente diferente, um nível muito alto de treinamento e jogos, mas acredito que somei muita experiência pessoal, bagagem no esporte e também na minha profissão de fisioterapeuta”, comemorou.

A Unissau perdeu a semifinal para a equipe do Sampaio (MA), que acabou como vice-campeã - o Vera Cruz Campinas faturou o título da Liga. “Fizemos uma campanha regular, todos os jogos foram bem equilibrados, a maioria definidos em detalhes e a diferença de pontuação bem pequena”, analisou a atleta.

Nascida em Presidente Prudente (SP), mas radicada em Mato Grosso do Sul desde a infância, Carol já atuou em equipes do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Apesar dos convites para disputar novamente a Liga, ela descarta a possibilidade por conta dos compromissos pessoais e profissionais em Campo Grande.

“Agora vou para outro sonho, que é o de ter minha própria clínica e ampliar conhecimentos nesta área”, resume. O basquete, no entanto, não ficará de lado.

“Continuo jogando agora por Mato Grosso do Sul, time máster, universitário, mas
Liga Nacional não. Para isso eu teria que me ausentar novamente de Campo Grande. A não ser que houvesse um projeto para Mato Grosso do Sul participar da Liga”, finaliza.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS